O Design Sustentável e o Mercado do Luxo

Luxo está diretamente relacionado a qualidade e ao tempo” Fabrízio Rollo.

Com a crescente preocupação com o meio ambiente, repensar no modo como produtos são projetados torna-se necessário e inevitável, assim, nós designers de interiores, arquitetos e consumidoes, devemos  entender o que é design sustentável e como ele está sendo aplicado no mercado do mobiliário e do luxo, perceber e refletir como estes critérios estão promovendo mudanças no comportamento de quem concebe e consomem estes produtos e que não podem ser negligenciadas na concepção e especificação e consumo de qualquer projeto.
O design sustentável pode ser definido, em linhas gerais, como uma metodologia que tem como objetivo minimizar o impacto ambiental de um produto, desde sua concepção até seu descarte, denotando uma nova fase cultural de hábitos e costumes dos indivíduos.
Desde os anos 1980, é crescente a preocupação das pessoas com as alterações no meio
ambiente e suas consequências que parecem apontar para um problema ainda maior: a
insustentabilidade do estilo de vida do homem contemporâneo. O design sustentável se apresenta como um importante agente destas transformações, visto que a produção de móveis, objetos, roupas e acessórios, pela indústria é norteada por seus princípios. Através deste conceito, pode-se propor uma série de medidas condizentes com esta nova demanda social e cultural. É de se esperar que os produtos resultantes desta ordem social emergente apresentem características estruturais e estéticas próprias, que reflitam este novo momento.
Desta maneira, o conceito do luxo, que ao meu ver está diretamente ligado ás sencações causadas pela compra de detrminado produto; se apropriou desta tendência para criar produtos assinados por desigers conhecidos e renomados em virtude da constatação   do tema ser atraente e representar uma bela estretégia de marketing, segundo Juliana Bianch, diretora do site gestão do luxo, em tempos de desmatamentos, animais em extinção e imensas degradações ambientais afetando o clima mundial, hastear a bandeira do ecologicamente correto e da consciência sócio-ambiental se tornou estratégia de marketing das mais atraentes para marcas que querem se alçar ao segmento de luxo ou premium. O grupo de luxo PPR, que controla grifes como Gucci, Yves Saint Laurent e Balenciaga, anunciou o lançamento de um projeto para que suas marcas causem menos impacto no meio ambiente. Entre os objetivos do plano, batizado de PPR Home, estão o lançamento de um laboratório de sustentabilidade criativa e a neutralização completa das emissões de dióxido de carbono das empresas que fazem parte do grupo, envolvendo um orçamento anual de 10 milhões de euros. O projeto também conta com a estilista Stella McCartney, conhecida por utilizar materiais sustentáveis em suas coleções e ser uma das principais referências mundiais em design sustentável voltado ao mercado de luxo.
Enfim, o Design Sustentável é ecológico, é funcional, é confortável, é interessante, é bonito, é luxo,  é "It"!

Seguem algumas imagens que pesquisei sobre o tema abordado.
Imagem cedida pela Efeito Home contato 71-3267.1034
 
"Clutch Chair" é uma cadeira concebida e desenvolvida pelo designer escocês Scott Jarvie com 10 mil canudinhos. http://www.scottjarvie.co.uk/
O designer Paulo Alves utilizou madeiras descartadas para fazer a chaise Cangalha que aproveita todas as sobras de madeira de marcenaria. São sarrafos de diversos tamanhos modelados um a um, até formar a espreguiçadeira. Visualmente o móvel parece duro e desconfortável, mas revela-se macio, aconchegante e acolhedor. Cangalha é comercializada com exclusividade na Decameron.
 
111 Navy Chair, foi criada a patir de 111 garrafas PET recicladas, desenvolvida pela empresa americana Emeco. ( www.ecodesenvolvimento.org)
 

111 Navy Chair
 Luminárias com garrafas de vinho recicladacriadas pelo designer chinês Jonh Meng

 
Estante Cesária Evora do designer Emiliano Godoy
Sofá Carbono 11 assinado por Marcus Ferreira, estofado em lona de caminhão reciclada
 
 

Comentários