O tecido chita como inspiração para o Decor do São João

A história da chita traz um pouco da trajetória da alma brasileira. Passado, presente, trabalho, castigo, festa, criação, arte, infância, malícia e uma alegria descarada se combinam nas cores e misturas descontroladas das estampas, que vestiram escravos, camponeses, tropicalistas, personagens da literatura, teatro, novela e cinema, sem perder a inocência.
Como o sua própria definição, descrita no Aurélio, a chita por muito tempo foi, realmente, considerada um tecido ordinário, destinada apenas vestir as classes pobres da sociedade, e no máximo era utilizada pelas demais classes sociais emergentes, na confecção de vestidos juninos para personificar figuras caipiras. Mas hoje já não é bem assim.
Apesar de toda a diversidade que temos à disposição, vivemos num constante resgate de nossas raízes, do reinventar, do achar valor nas coisas mais simples e a chita volta nos tempos atuais, não como o tecido ordinário do vestido das lavadeiras ou dos escravos, mas como parte de projetos de decoração, reiventada em objetos de design e na moda, levando com seu colorido único, simples e inconfundível, alegria e energia que fazem bem não só aos olhos, mas também à alma! ( Fonte: http://cafecomchita.blogspot.com )
Vamos ver então?? Da cadeira ao vaso de planta revestido com chita!


Comentários